Moldes e as Curvas Francesas

molde-curva-francesa.jpg

Régua de curvas francesas…Quem tem uma em casa? Um verdadeiro manancial de curvas, fechadas, abertas, suaves, bonitas e até feias, se quiser….Alegre
Ela arrasa na modelagem de roupas e também na de bolsas e carteiras e quando se começa a explorar seus recursos, descobre-se também o quanto é possível criar moldes bem interessantes e, consequentemente, libertar-se um  pouco do que está pronto e fornecido para download.

Brincando com a minha régua, consegui fazer este molde pequeno que tenho certeza absoluta ser possível criar uma peça bem bonita com ele:

molde-curva-francesa.1.jpg

Em um retângulo de 16 cm de altura x 12 cm de largura, o que equivaleria ao molde pela metade, eu planejei as curvas que eu desejava no molde, seguindo, certamente, um padrão que sempre temos e repetimos muito nesse tipo de moldes: curvas nas extremidades do retângulo. Normalmente fazemos curvas pequenas, numa distância de uns 2 cms das extremidades. Ocorre que eu cometi um erro na parte de cima do molde e gostei do resultado, sim, do erroAlegre . Resolvi, então, oficializá-lo e fui pequisar com quais medidas eu tinha obtido uma curva tão distante da base lateral, como podem ver.

Daí eu virei o papel e descobri que poderia ser uma “aba” (flap) de clutch ou bolsinha. Olha só e veja se vocês concordam comigo:

molde-curva-francesa.3.jpg

Não é mesmo?? Um retângulo com um morrinho à esquerda, um morro maior à direita ligados por um segmento de reta de uns 6 cms.

Enfim, foi feito desse modo:

a- desenhei o retângulo nas medidas acima

b – marquei onde iriam as curvas

c – delimitei nas duas extremidades onde seria o desenho das curvas.

d – depois de várias tentativas até se chegar ao resultado final eu vi nos quadriculados onde efetivamente eu estava obtendo o resultado desejado e fiz a marcação das medidas.

e – de fato eu estava fazendo exercícios com a régua de curvas e acabei chegando a um molde de que gostei bastante.

molde-curva-francesa.6.jpg

Na imagem acima, uma das curvas que usei e que uniu dois pontos que eu havia marcado. Sim, a princípio é na base da tentativa e erro até se chegar a um resultado que agrade.

A curva na base também foi feita com a mesma régua:vai-se testando, apagando, criando outras até ficar bacana.

No próximo post vamos falar de como se chegar à medida dos foles da bolsinha, o do zíper e o das laterais e fundo.

O molde não está no tamanho real, ok? Eu reduzi um pouco o tamanho antes de postar aqui, pois a qualidade da imagem ficou bem ruinzinha, né? Mas tem as medidas com as quais poderão treinar e fazer o seu próprio molde com as curvas que resolverem escolher, pois curvas em moldes de bolsas são a parte mais interessante e artística de todo o  processo.

 

Té mais….

Esta entrada foi publicada em Moldes e as Curvas Francesas. Adicione o link permanente aos seus favoritos.